O Céu tem mais uma estrelinha hoje...

Hoje o céu ficou mais bonito.

Minha anjinha preta resolveu que era hora de voltar pro céu.


Ela estava muito doentinha desde o final do ano passado quando ela teve convulsões.
Depois desses episódios, descobrimos que ela tinha cardiopatia e os rins e fígado já não estavam funcionando corretamente.
De lá para cá, ela não foi mais a mesma. Ela foi muitas vezes para  o veterinário, ficou internada lá algumas dessas vezes. Além do tratamento com antibióticos e diuréticos, ela fez 2 punções abdominais e uma transfusão de sangue. Estava com uma dieta super rígida, sem sal e sem proteínas. Ela estava tão magrinha que nem ficava em pé.


Ela era muito querida e carinhosa. Estava na família desde 2007. Nós adotamos a Pitu quando ela tinha mais ou menos 2 anos. Ela havia sido resgatada pela AJAPRA,  estava magra, com medo e sem pêlos devido a sarna dermodécica, nem parecia que era Cocker. Aqui em casa não tinha muito luxo, mas tinha a casinha dela, comida e muita gente que amava ela.

Achei uma foto mais antiga. Eu tenho fotos do dia em que ela chegou lá em casa, mas eu não consegui achar. Essa foto é de Dezembro de 2008, com a primeira cria dela no ranchinho atrás de casa. Notem como ela está quase sem pelos. Mas já estava mais gordinha do que quando chegou.
12/2008
Essa foto é de Agosto de 2009. Notem como a minha menina já estava mais saudável e sem sinais da sarna dermodécica.


Essa outra foto já é mais recente. É de Novembro de 2014.


Essa é de Novembro de 2015, logo após as primeiras convulsões. Nós sentadas na escada de pois do passeio.


Eu levava ela para passear e depois ficávamos sentadas na escada na frente de casa, só olhando o movimento enquanto eu acariciava ela. Sentei com ela ontem na escada quando ela chegou do veterinário e ela dormiu um monte.


Essa foi a última foto tirada dela. Eu fui lá ficar com ela semana passada e esqueci os meus óculos lá.
Meu pai colocou nela e minha mãe fotografou e ma mandou por whatsapp...


Eu já tive muitos outros cachorros e até um gato (o Tom). Sempre amei muito e tratei com muito carinho, porém a Pituchinha foi a que permaneceu mais tempo na família e eu era muito apegada à essa maria gasolina.

Eu não podia chegar em casa que ela ia correndo direto pro carro. Eu não podia abrir a porta que ela entrava e ninguém conseguia tirar ela de lá. Algumas vezes eu inventava de ir no mercado ou de ir comprar chocolate de cachorro (ração sachê) só pra levar ela pra andar de carro.


Vou sentir muita saudade de você minha pretuminosa linda.

2 comentários:

  1. Olá, nem imagino essa dor. Tenho gatos e convivo com as cadelinhas da minha mãe e amo elas. Que bom que viveram bons momentos.
    Bjs
    comqueroupavouparaigreja.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jackeline, nem consegui responder o seu comentário antes. Hoje faz 2 semanas e ainda olho as fotos e tenho vontade de chorar. Ontem mesmo fui no mercado fazer compras e passei em frente da seção de ração em sachê e me deu um aperto no peito e meus olhos se encheram de lágrimas. Eu sei que algumas pessoas não entendem o amor, carinho e o companheirismo, foram quase 10 anos, e isso é mais que o meu relacionamento que fez 7 agora. É como perder alguém muito especial da família. ;)

      Obrigada pela visita.

      Excluir

Comenta aqui fia!